postado em: 11/07/17 as 12:12, atualizado em: 11/07/17


Paisagem da Ameron começa a se transformar com a plantação de horta e pomar


Plantas medicinais, temperos, hortaliças e frutas são algumas das espécies que começam a ser plantadas na sede social da Associação dos Magistrados do Estado de Rondônia (Ameron). Com a proposta de atrair de forma contínua os associados, ornamentar o espaço tornando-o mais colorido e gerando mais economia para a Ameron, a diretoria de sustentabilidade, meio ambiente e responsabilidade social inicia os trabalhos de implantação de horta e pomar. A ação tem sido acompanhada pelos diretores com a inspeção do preparo do solo, da plantação e também a manutenção do espaço.

O diretor de meio ambiente, sustentabilidade e responsabilidade social, desembargador Isaías Fonseca, explica como surgiu a ideia de cultivar a horta na Ameron e como deve funcionar a nova proposta. “Há um projeto similar a esse que foi colocado em prática em uma associação parecida com a nossa, busquei essa ideia em uma reportagem. O projeto funciona da seguinte forma, a associação preparava o terreno e o canteiro, enquanto que os associados se inscrevem para adotar um canteiro para cultivá-lo e assim fazer a produção de uma horta comunitária. Com essa proposta implantada aqui, teremos um grande movimento de associados e familiares frequentando a nossa sede. Isso porque os associados passam assumir o compromisso de cuidar do canteiro”, revela a novidade.


Algumas mudas foram obtidas pelo viveiro municipal, além da doação dos próprios associados, do Batalhão Ambiental e também da Secretaria Estadual do Meio Ambiente. Orquídeas, manjericão, alecrim, bolbo, coqueiro, alface e berinjela são algumas das espécies plantadas e que vão decorar o cenário da Ameron. A diretora de meio ambiente, sustentabilidade e responsabilidade social, Duília Sgrott Reis, acredita que a plantação da horta e do pomar vai gerar economia para a associação, além de tornar possível a realização de ações sociais. “Nós temos gastos para preparar o café da manhã, pois é preciso comprar as frutas, além das verduras para o almoço. Com a produção da horta vamos cortar esses gastos. Outra vantagem é que conhecemos o local onde os alimentos estão sendo produzidos, é importante sabermos que não terão agrotóxicos ou qualquer componente químico. Terceiro ponto é que o excedente da nossa produção será doado para instituições filantrópicas”, explica a magistrada.

Um projeto arquitetônico de arborização ainda deve ser elaborado para saber os detalhes do que precisa ser feito para preencher ao máximo os espaços vazios da sede social. Agentes da Emater foram acionados para realizar estudos técnicos sobre a condição do solo. Nessa fase inicial das atividades, a diretoria de meio ambiente, sustentabilidade e responsabilidade social, conta com as primeiras doações de adubo. “O associado só terá o trabalho de escolher a cultura que vai querer produzir e cultivar”, finaliza o diretor Isaias Fonseca.

Fonte: Assessoria de Comunicação - Ameron

comments powered by Disqus