postado em: 20/11/17 as 10:14, atualizado em: 21/11/17


V Curso Preparatório para adoção acontece em Rolim de Moura


A comarca de Rolim de Moura realizou na última sexta-feira, 17, no fórum desembargador Eurico Soares Montenegro, o V curso preparatório para adoção, organizado pelo Núcleo Psicossocial da comarca e o Juizado da Infância e da Juventude. As pessoas que buscam a habilitação no cadastro de pretendentes à adoção foram o público-alvo deste encontro, sendo a participação um pré-requisito legal previsto no artigo 197, do Estatuto da Criança e do Adolescente.

O encontro contou com a presença de 14 pretendentes. Dentre os casais participantes, 4 são de Rolim de Moura, 2 de Cacoal e 1 de Colorado D'Oeste-RO.

O curso preparatório contou com a participação do Juizado da Infância e da Juventude, Promotoria de Justiça e Núcleo Psicossocial de Rolim de Moura. A organização é de responsabilidade do NUPS, composto pelas assistentes sociais Celina Carla Martins Fraga Ferreira, Cleicivânia Valiatti da Silva, e os psicólogos Raquel Tessila de Melo, Suélen de Araújo Neves e Antonio Carlos Zandonadi.

Os palestrantes foram o juiz da Infância e da Juventude, Jeferson Cristi Tessila de Melo, os membros do NUPS de Rolim de Moura e o Promotor de Justiça, Victor Monfredinho.

Durante o curso foram abordados temas como os aspectos legais da adoção, Atribuições do Ministério Público nos Processos de Adoção, Atribuições da Defensoria Pública nos Processos de Adoção, Mitos e preconceitos que envolvem a adoção, Filho real x Filho idealizado, Sonhos: descrição do perfil dos adotantes feito por uma criança, Revelação e abordagem da história de vida da criança/adolescente, Reconstruindo a identidade, Estágio de Convivência, as expectativas e motivações para adoção, contextualização da adoção na sociedade atual, lidando com preconceitos na escola, origem da criança e a nova configuração familiar.

O encontro promoveu junto aos pretendentes à adoção uma reflexão sobre a construção de seus perfis parentais, considerando as peculiaridades dessa forma de construção de relação familiar. Para tanto foram realizados diálogos abertos, atividades vivenciais, trocas de experiências e percepções quanto a esse projeto familiar, com preparação psicológica, orientação e estímulo à adoção inter-racial, de crianças maiores ou de adolescentes, com necessidades específicas de saúde ou com deficiências e de grupos de irmãos.

Fonte: Assessoria de Comunicação - TJ/RO

comments powered by Disqus