postado em: 02/11/18 as 10:32, atualizado em: 03/11/18


Juiz João Luiz Rolim Sampaio vence o Prêmio Boas Práticas Institucionais na Categoria Sustentabilidade


O apagar das luzes após mais um dia de expediente, a substituição de copos descartáveis pelos copos ecológicos e a redução do consumo de papéis sulfites ao longo da jornada de trabalho. A simplicidade desses atos assegurou o Prêmio Boas Práticas Institucionais ao Centro de Conciliação, Mediação e Arbitragem, promovido pelo Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia. O projeto foi desenvolvido e coordenado pelo juiz do 1º Juizado Especial Cível, João Luiz Rolim Sampaio.

A Ação mobilizou magistrados e servidores que atuam na Central de Processos Eletrônicos, Turma Recursal, gabinetes dos Juizados Especiais Cíveis, da Fazenda Pública e do Juizado Especial Criminal, a administração do Centro de Conciliação, Mediação e Arbitragem e o CEJUSC. “Aderimos a campanha ‘a luz que você apaga, o Tribunal não paga’. Então pessoalmente apagávamos as luzes do fórum no final do expediente e passamos a cobrar mais dos próprios servidores, dos terceirizados, do pessoal da vigilância que ficam no prédio. Houve uma adesão maciça de todas as unidades judiciárias que estão lá no fórum e contribuíram para a conquista desse prêmio”, revela o coordenador do projeto vencedor, juiz João Luiz Rolim Sampaio.

A prática foi suficiente para premiar os autores do projeto com minicomputadores, certificados e placas de homenagens por ter sido considerado pela comissão julgadora do Prêmio, como o melhor projeto desenvolvido na Categoria Sustentabilidade. Apesar dos gestos simples terem levado o projeto a ser premiado, o inicio de implantação causou impactos. “Todos nós quando vimos o copo ecológico sofremos um impacto porque a capacidade dele é diminuta, é de papel e estamos acostumados a ingerir bebidas em copos plásticos e achando que é mais saudável ou higiênico. No entanto, os copos ecológicos também têm sua higiene assegurada, tanto que o Tribunal avaliou isso antes de fechar qualquer contrato com as empresas fornecedoras desses copos. A ideia é nova e diverge muito do paradigma que temos”, avalia o magistrado.

O Prêmio Boas Práticas Institucionais tem como finalidade a busca pelo estímulo de atividades inovadoras, criativas e com resultados comprovados. São práticas criadas e executadas por magistrados e/ou servidores do Poder Judiciário do Estado de Rondônia com o objetivo de melhorar a qualidade dos serviços entregues ao público interno e aos cidadãos. A entrega do prêmio ocorreu no encerramento das atividades alusivas à Semana do Servidor.

Fonte: Assessoria de Comunicação - Ameron

comments powered by Disqus