postado em: 26/03/21 as 10:30, atualizado em: 26/03/21


Após três décadas de magistratura, desembargador Oudivanil de Marins obtém aposentadoria


Em sessão especial ocorrida de forma remota, na última segunda-feira (22), o Tribunal Pleno deferiu pela aposentadoria do desembargador do TJRO, Oudivanil de Marins. O magistrado se afasta das atividades judicantes após 34 anos de dedicação à magistratura rondoniense.

Durante a sessão solene, o desembargador Oudivanil de Marins foi surpreendido com um vídeo que narrava a sua trajetória no Judiciário, relatos de servidores e da esposa Luciene da Silva Marins. Para a presidente da Ameron, juíza Euma Tourinho, a Corte Estadual perde um membro com grande capacidade de produção. “Ficamos muito tristes com a saída de um magistrado exemplar, discreto e de ilibada reputação. Mas muito felizes pelos anos de contribuição ao Poder Judiciário de Rondônia e por saber que agora poderá colher todos os frutos daquilo que plantou e com muita Justiça”, assevera a magistrada.

O desembargador Daniel Ribeiro Lagos, relator do processo, proferiu voto favorável à aposentação do colega, e os demais membros da Corte seguiu o voto da relatoria. O desembargador Oudivanil de Marins pertence a 4ª Turma de Ingresso à Carreira da Magistratura do Poder Judiciário de Rondônia, ao ser aprovado no concurso público de 1987. Assim que fora aprovado, foi designado à então distante Comarca de Cerejeiras, localizada no Cone Sul do Estado. Quatro anos depois foi promovido à Comarca de Ji-Paraná, onde prestou a judicatura até 1995, quando foi promovido novamente à Vara da Fazenda Pública de Porto Velho e também atuou nos Juizados Especiais da capital.

Somente em 2012, o magistrado chegou ao ápice da carreira ao se tornar desembargador do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia, pelo critério de antiguidade. Atuou na 1ª Câmara Especial, nas Câmaras Especiais Reunidas e no Tribunal Pleno. Igualmente, exerceu um importante trabalho na Justiça Eleitoral, mas, o maior destaque na carreira foi quando atuou na solução de conflitos de baixa complexidade nos distritos da Ponta do Abunã e no Baixo Madeira.

Conhecido pela magistratura por ser um juiz sábio, sóbrio e humilde, Oudivanil de Marins iniciou a trajetória no Direito, ao deixar a pacata cidade de Astorga, no interior do Paraná, para estudar em Londrina até desbravar a Amazônia dos anos 80. Antes de ingressar na magistratura, à exemplo de muitos magistrados, advogava em escritório particular.

Fonte: Assessoria de Comunicação - Ameron

comments powered by Disqus